sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Oracle pede novo julgamento em processo contra o Google

A recente vitória do Google nos tribunais, após um processo que já dura mais de seis anos movido pela Oracle, parecia ser o final de uma novela gigante. Ou não. Advogados da empresa desenvolvedora do Java, e que demanda compensações financeiras da gigante da web justamente pelo uso irregular da tecnologia, voltaram a registrar, nesta quarta-feira (17), um novo pedido de julgamento que deve alongar ainda mais a disputa. 

Com custos que já somam US$ 9 bilhões, a ação está relacionada ao que a Oracle julga uma quebra de suas patentes pelo Google, que teria utilizado tecnologias Java na criação do sistema operacional Android. Os juízes não deram razão a ela, mesmo após sucessivos apelos, mas, agora, anúncios feitos pela própria dona do sistema operacional do robô verde podem transformar o cenário, fazendo com que muitos acreditem que a reclamante conseguirá obter algum tipo de compensação financeira. 

A virada foi extremamente técnica, mas se parece com aquelas que veríamos em um filme de tribunal. Além do argumento de que as tecnologias usadas são de código aberto, o Google alegava, também, que o uso do Java no Android não feria o mercado da Oracle, pois o sistema estava disponível apenas em celulares e tablets. Entretanto, no mesmo dia e horário da audiência, a companhia apresentava uma versão da Google Play Store para Chromebooks, levando seus sistemas para computadores e subvertendo a própria defesa. 

Agora, a Oracle afirma que o Google não apenas está, mais ainda, ferindo sua fatia de mercado, como também tentou acelerar o julgamento para obter vitórias antes do anúncio, escondendo o desenvolvimento de uma versão da loja online para o Chrome OS. Em resposta, Mountain View disse ter sim apresentado documentos sobre a função que permite rodar apps do Android nos notebooks, e, inclusive, eles teriam sido analisados por especialistas da Oracle. A Play Store para o Chrome OS, entretanto, não teria sido baseada em tal tecnologia, apesar de ter finalidade semelhante. 

Além disso, relatórios relacionados ao mais recente julgamento indicam que a Oracle também teria razão em processar o Google por sistemas Android disponíveis em carros, relógios inteligentes e dispositivos de Internet das Coisas. Entretanto, foi uma decisão da corte limitar o processo apenas aos produtos considerados principais – ou seja, o sistema operacional móvel –, de forma a facilitar o entendimento dos jurados e também o andamento de um processo gigantesco que não para de crescer.

 Tudo isso pode mudar agora, baseado também na noção que, por mais que os papéis originalmente se relacionem apenas a tecnologias lançadas até 2012, a Oracle pode pedir uma extensão do caso e também de seus ganhos até o recém-anunciado Android Nougat. E se a ideia de que o Chrome OS também entra na dança colar, todo o processo ganhará novos tons, extremamente favoráveis para a dona do Java, que não tem poupado despesas para vencer a peleja. 

A próxima audiência sobre o caso, que vai julgar a admissão ou não de um novo pedido de julgamento, acontece em 22 de setembro. Com as novas alegações, é bastante provável que o processo complete seu aniversário de sete anos, em maio de 2017, e continue existindo por pelo menos mais algum tempo.

Fonte: CanalTech

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Sky World com Kotlin - Coding Dojo

Nossa Aventura continua, no mundo genial do Kotlin.

Você que perdeu o 1º, venha aventurar no 2º.

Vamos entrar no Sky World( Só para ludificar o momento kkkkkk).

Vamos passar pelos skate do baby steps, pelo carrinho do TDD, pegar o avião da imaginação, pegar o paraquedas em grupo para compartilhar o conhecimento e cair nas graças do Kotlin!

E aí, gostou?

Então se inscreva https://www.meetup.com/pt-BR/GDG-Maceio/events/232885579/?eventId=232885579 

Vai acontecer no Sábado dia 6 de Agosto de 2016 09:30 às 12:00.

Pode chegar mais cedo. Esperamos você lá!

TOP 10 – Linguagens de programação mais populares

Java já não é a linguagem mais popular! :( 

Descubra qual é.

Atualmente são muitas as linguagens de programação ao dispor dos programadores e curiosos pela “arte” de programar. Devido a essa multiplicidade de linguagens de programação e também aos vários ambientes de de programação (Móvel, Desktop, empresarial, etc), é comum sermos questionados sobre qual a melhor linguagem de programação.

Hoje apresentamos um TOP 10 das linguagens de programação mais populares em 2016, segundo o IEEE.

Fonte: pplware.sapo.pt


De acordo com o site do IEEE, a linguagem C é atualmente a linguagem de programação mais popular. De referir que em 2014 o primeiro lugar era ocupado pela linguagem de programação Java da Sun Microsystems.

Do ranking há ainda a destacar a presença da linguagem Python que ultrapassou a linguagem de programação C++. A linguagem de programação R tem vindo crescendo no TOP 10 e há uma nova entrada, a linguagem Go.

Para a elaboração deste ranking foi usada informação de várias fontes, como por exemplo, Google Search, Google Trends, Twitter, GitHub, Reddit, etc.

Além da informação do ranking, o site apresenta também quais os tipos de plataformas suportados por cada linguagem de programação (ver campo type) sendo que neste momento o C lidera em todas as plataformas (Web, Mobile, Enterprise, Embedded).

Fonte: Pplware

terça-feira, 19 de julho de 2016

ORACLE DISPONIBILIZA O JAVA RE V8 UPDATE 101

A Oracle disponibilizou para download nesta terça-feira o Java RE v8 Update 101 para Windows* e outras plataformas.

O Java Runtime Environment (ou Java RE) permite que os usuários executem jogos e aplicativos programados em Java, façam o upload de fotos em certos sites, conversem online, façam tours virtuais e usem serviços como treinamento online, transações bancárias online e mapas interativos.

Muitos serviços de internet banking no Brasil requerem a instalação do Java Runtime Environment no computador, por isso é extremamente importante mantê-lo sempre atualizado. Ele está disponível para download gratuitamente e em versões 32 e 64 bits para Windows.

De acordo com a Oracle, o Update 101 traz correções de bugs e correções para múltiplas falhas de segurança. Algumas das falhas corrigidas são de alto risco.

A lista com os bugs corrigidos pode ser vista aqui e a lista com as vulnerabilidades pode ser vista aqui.

*Java RE v8 não inclui suporte para o Windows XP.

Os usuários podem fazer o download do Java RE v8 Update 101 para Windows (32 e 64 bits) e para outras plataformas clicando aqui e mais informações sobre o Java podem ser encontradas no site java.com.

Fim do plugin Java para navegadores


No final de janeiro a Oracle anunciou em seu blog oficial o fim do plugin Java para navegadores. Assim como o Flash Player da Adobe, o plugin da Oracle sempre sofreu com falhas de segurança.

Com a instrução de padrões como o HTML5, a necessidade do uso de plugins pelos navegadores vem diminuindo cada vez mais.

Alguns navegadores, como as versões mais recentes do Google Chrome e o Microsoft Edge, já nem suportam mais plugins baseados em NPAPI ou ActiveX. O Firefox, da Mozilla, dele eliminar o suporte para plugins baseado sem NPAPI até o final deste ano.

A Oracle confirmou o fim do plugin Java para navegadores a partir da versão 9 do JDK (Java SE Development Kit) e em futuras versões do JRE (Java Runtime Environment).

A empresa recomenda que desenvolvedores de aplicações que precisam do plugin Java para navegadores considerem alternativas como a migração dos applets Java para a tecnologia Java Web Start, que não requer o uso de plug-ins.

Fonte: Baboo

quinta-feira, 30 de junho de 2016

8 ANOS DO ALJUG

Olá pessoALL,

Hoje o Aljug faz 8 anos. No dia 30 de Junho de 2008, foi o dia que recebemos o sim, na época, da Sun Microsystems para criarmos este grupo, sendo reconhecida oficialmente pela entidade como um grupo de usuários Java.
                                          
Até hoje, fizemos 7 eventos, ajudamos em 2 eventos,e sempre que podemos organizamos e ajudamos a quem precisar de apoio.
Temos o site http://www.aljug.com.br, Twitter,Blog, facebook, e grupos no google, como ALJUG e JAVA.AL.

Agradecemos a todos que confia no nosso empenho. Nosso objetivo é sempre contribuir.


Obrigado a todos! E até qualquer hora!

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Android gerou mais de US$ 42 bilhões em receita, segundo Oracle

Pelos cálculos da empresa de desenvolvimento de sistemas Oracle, o Android gerou US$ 42,35 bilhões para o Google entre os anos de 2008 e 2015, principalmente a partir da venda de publicidade. O valor foi estimado pelo economista da Oracle, Adam Jaffe, que testemunhou em um novo julgamento na corte federal de San Francisco. 

A empresa de software corporativo acusa a gigante das buscas na internet de não pagar pela utilização de sua tecnologia Java para desenvolver o Android. Nesta quinta-feira, 19, o presidente-executivo da Alphabet, Larry Page, disse aos membros do júri que o Google acreditava que o software era gratuito para qualquer desenvolvedor utilizá-lo. Quando questionado pelo advogado da Oracle, Peter Bicks, em relação à importância do Android para os negócios do Google, Page foi um tanto evasivo: "Eu acho que o Android é significativo para o Google", disse.

Em seguida, Bicks perguntou se o Google pagou pelo uso do Java, que foi desenvolvido pela Sun Microsystems no início de 1990 e adquirido pela Oracle em 2010. "Quando a Sun desenvolveu o Java, foi estabelecido que seria código aberto", disse Page. "Nós não pagamos por coisas livres e abertas." Em sua defesa, o Google alega que a Oracle adquiriu a Sun, com o objetivo de lançar um processo sobre direitos autorais.

A lei de direitos autorais nos Estados Unidos permite utilização limitada de material protegido, sem adquirir permissão do detentor dos direitos, para propósitos como pesquisa, comentários ou produção de notícias. O Google argumentou que os elementos do Java em questão não devem ser sujeitos ao copyright e, mesmo se forem, a Oracle teria superstimado muito seu pedido de danos. De acordo com Jaffe, o código em questão representa menos de 1% de todas as linhas de código do Android.

Impasse. A disputa entre as duas empresas já foi a julgamento em 2012, mas o júri ficou em um impasse. Agora, se o atual júri do tribunal de San Francisco decidir contra o Google, a empresa pode ser condenada a pagar US$ 9 bilhões em indenizações. 

O julgamento é observado de perto por desenvolvedores de software, que temem que a vitória da Oracle poderia desencadear mais processos de direitos autorais sobre o uso do software.

O Android foi lançado em novembro de 2007. A primeira versão comercial, Android 1.0, foi liberada em setembro do ano seguinte. Atualmente, mais de 1,4 bilhão de dispositivos móveis utilizam o sistema operacional do Google.

Fonte: Estadão

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Copresidente da Oracle diz que Google provocou redução na receita da empresa

Clientes mais antigos reduziram dramaticamente o pagamento de licenciamento por uso de produtos da Oracle após o Google roubar seu software para entrar no mercado de smartphones, disse a copresidente-executiva Safra Catz a jurados nesta terça-feira.

Em julgamento no tribunal federal de San Francisco, a Oracle alegou que o sistema operacional para smartphones Android violou direitos autorais em partes da plataforma de desenvolvimento Java. O Google, unidade da Alphabet, disse que pode usar o Java sem pagar taxa sob a lei de direitos autorais.

A Oracle comprou a Sun em 2010 e processou o Google após as negociações sobre uso do Java terem falhado. O júri chegou a um impasse em 2012. Se o atual júri decidir contra o Google, isso pode levar a um pedido de 9 bilhões de dólares em indenizações.

No tribunal nesta terça-feira, Catz disse que a decisão do Google de distribuir o Android gratuitamente para fabricantes como a Samsung reduziu a tradicional receita de licenciamento que as fabricantes pagavam pelo Java.

"Isso teve um impacto muito negativo", disse Catz.

Fonte: DCI