sábado, 4 de agosto de 2018

Empresas alemãs buscam brasileiros

Um evento em São Paulo vai reunir empresas que buscam profissionais de TI brasileiros para preencher vagas na Alemanha.

Organizado pela agência federal de empregos da alemanha, o evento contará com empresas como Compusafe, Delta IT Solutions, Akka e Tecmata.

As organizações buscam profissionais experientes, com inglês fluente e conhecimento da língua alemã.

Entre as vagas abertas estão frontend developer (com conhecimentos de JavaScript, HTML5, CSS, Angular, ReactJS ou NodeJS, JSF, JSP);  big data consultant (Azure, AWS C# ou Java); test engineer (C, C++, Visual Basic, CANoe, Matlab, Simulink, INCA); embedded senior software engineer (C, VBA, LabVIEW, CAN, LIN, FlexRay) e DevOps Engineer (Azure, AWS, machine learning, IoT, Docker ou Kubernetes, Agile, DevOps, Automation).

As empresas ainda esperam contratar desenvolvedores Java ou JavaEE, desenvolvedores AUTOSAR, consultores SAP ABAP e consultores SAP Hana. 

O “Quero Trabalhar na Alemanha” vai acontecer nos dias 22 e 23 de agosto. Para participar do encontro e ter a chance de conhecer os recrutadores, é preciso enviar currículo em inglês ou alemão para brasil@arbeitsagentur.de com o assunto Brasil-IT-2018.

Além dos encontros com recrutadores, o evento promoverá palestras sobre vida e trabalho na Alemanha, com consultoria sobre imigração.

Fonte: Baguete

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Atualizações do Java 8 acabam em Janeiro de 2019

A Oracle anunciou que vai deixar de publicar atualizações para o Java 8 em Janeiro de 2019. Com o fim das atualizações anunciadas a Oracle alerta que, após essa data as empresas vão precisar adquirir uma licença empresarial para receber as atualizações dos produtos Oracle Java SE.

Num novo comunicado sobre a revisão do”roadmap”, a Oracle explica que as atualizações públicas da versão Java SE 8 publicadas após Janeiro de 2019 não estarão acessíveis a empresas sem as respectivas licenças comerciais. No entanto, as atualizações públicas para usos particulares estarão disponíveis pelo menos até ao final de 2020. 

A Oracle recomenda às empresas a revisão do “roadmap” de suporte do Java SE para ter acesso aos requisitos de suporte  para migrações futuras para novas versões ou obter um licença comercial. 

O clientes que utilizam o SE como parte de outros produto Oracle poderão continuar a aceder ao Java SE 8 para aqueles produtos após 2018. Segundo a Oracle, os programadores deverão igualmente rever o “roadmap” para o as versões Java SE 8 e posteriores e tomar medidas apropriadas com base nas suas aplicações e modelos de distribuição. 

Anteriormente, a Oracle decidiu alargar as actualizações públicas do JDK 8, o kit de programação para o Java SE 8, até, pelo menos Janeiro 2019, depois de ter originalmente planeado para terminá-los em Setembro. O JDK 8 foi lançado em Março de 2014. Oracle lançou o JDK 9 em Setembro de 2017 e a JDK 10 no mês passado, avançando em seis meses a cadência e lançamentos. O JDK 11 deverão sair em Setembro.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Estas são as 20 linguagens de programação mais usadas

Está interessado em aprender a programar ou em expandir seus conhecimentos de TI? Anualmente, o Stack Overflow, site de perguntas e respostas usado por programadores em todo o mundo, lança um relatório indicando quais são as linguagens de programação mais usadas.

Na edição de 2018, mais de 100 mil programadores participaram do levantamento, que colocou o JavaScript como código mais utilizado. Diferentemente do Java (usado em apps para Android), o JavaScript permite a criação de elementos interativos em sites, o que o torna popular. Recentemente, o Google lançou um aplicativo grátis que visa ensinar a linguagem com pequenos jogos.

Apesar de o HTML ser uma linguagem de marcação, ela aparece em segundo lugar, seguida do CSS, ambas muito usadas em sites. Já o SQL é normalmente usado para lidar com um grande volume de dados, assim como o Python.

O Java aparece em quinto lugar no ranking, enquanto seu “rival”, Swift–usado em apps para iPhone–ficou em último lugar.

Muito usada em bancos, a linguagem Cobol não figurou no ranking, apesar da promessa de altos salários.

Quase 60% dos programadores que participaram da pesquisa se identificaram como desenvolvedores back-end, enquanto cerca de 20% se descreveram como desenvolvedores mobile. Fora isso, 30,1% dos participantes do levantamento disseram que trabalham com programação profissionalmente de zero a dois anos, 27,4%, de três a cinco anos, e 14,6% de seis a oito anos. No Brasil, os programadores participantes tinham, em média, 25 anos, enquanto o tempo de experiência média no setor era de oito anos.

O relatório traz uma série de dados sobre plataformas, bibliotecas e outras curiosidades sobre programadores. Você pode conferi-lo na íntegra, em inglês, aqui.

Veja a lista de linguagens de programação mais populares a seguir.

1.JavaScript
2.HTML
3.CSS
4.SQL
5.Java
6.Bash/Shell
7.Python
8.C#
9.PHP
10.C++
11.C
12.Typescript
13.Ruby
14.Swift
15.Assembly
16.Go
17.Objective-C
18.VB.NET
19.R
20.Matlab

Fonte: Exame

Promoção de exame de certificação da Oracle

A Oracle University, área da Oracle que promove cursos para formação em Tecnologia da Informação, acaba de lançar uma promoção para retake gratuito (segundo teste sem custos) de exame de certificação das soluções Oracle. Os conteúdos dos cursos são relacionados com Java, Oracle Database, Oracle Database Cloud Service e Java Cloud Service.

O processo para o agendamento do(s) exame(s) é simples:

• Acesse o site da Person/VUE e selecione o exame respectivo às tecnologias de interesse;
• Use o código RETAKE18BR e registre-se para ter o segundo exame sem custos;
• O primeiro exame deve ser realizado até o 31 de maio de 2018. Se não for aprovado, a segunda oportunidade, sem necessidade de pagamento, deverá ser realizada antes de 15 de julho de 2018.

“A promoção de retake gratuito é apenas uma prova da missão de Oracle University que incentiva e promove a formação de novos profissionais em TI, bem como ajudar na empregabilidade por meio de conhecimento de alto nível, cada vez mais exigido pelo mercado”, destaca Debora Palermo, diretora de Oracle University, da Oracle do Brasil.

Sobre a Oracle
A Oracle Cloud oferece um portfólio completo de aplicativos para ERP, HCM e CX, além do melhor banco de dados em Plataforma como Serviço (PaaS) e Infraestrutura como Serviço (IaaS), nos data centers localizados nas Américas, Europa e Ásia. Para mais informações sobre a Oracle (NYSE: ORCL. visite www.oracle.com/br.

Marcas Registradas

Oracle e Java são marcas registradas da Oracle e/ou suas afiliadas. Outros nomes são de propriedade de seus respectivos donos.


Fonte: InforChannel

quarta-feira, 14 de março de 2018

Os nove primeiros projetos propostos para o EE4J

Os primeiros nove projetos propostos pela Eclipse Foundation destinados a serem incluídos no Eclipse Enterprise for Java (EE4J) foram feitos. São eles:

Eclipse Grizzly
Eclipse OpenMQ
Eclipse Mojarra
Eclipse Message Service API para Java ( JSR 914 )
Eclipse Tyrus
Eclipse Java API para RESTful Web Services (JAX-RS)
Eclipse Jersey
Eclipse WebSocket API para Java ( JSR 356 )
Eclipse JSON Processing

Como descrito na carta do EE4J, esses projetos foram criados como parte do processo de transição das tecnologias do Java EE 8 e GlassFish da Oracle para a Eclipse Foundation. Todos os projetos novos seguem o processo de desenvolvimento do Eclipse para ser integrado ao EE4J.

Dois projetos adicionais, EclipseLink e Eclipse Yasson , já estão no processo de migração para o EE4J . Informações relevantes para todos os projetos da Fundação Eclipse podem ser encontradas em seu site de notícias sobre atividades de projetos .

Dmitry Kornilov, gerente sênior de desenvolvimento na Oracle, e Mike Milinkovich, diretor executivo na Eclipse Foundation, falaram com o InfoQ sobre esses nove novos projetos.

Uma pergunta importante bem como sua resposta:

InfoQ: O que está no horizonte para o EE4J?

Kornilov: Há muitas coisas acontecendo. O primeiro objetivo é transferir todos os projetos Java EE para a Eclipse Foundation e lançar a primeira versão do EE4J. O plano é que essa versão seja compatível com o Java EE 8. O segundo objetivo é definir um novo processo de padronização que será utilizado no EE4J e irá substituir o processo da JCP que era utilizado no Java EE. E o objetivo final é que, com o processo de padronização definido, seja lançada uma nova versão totalmente desenvolvida pela comunidade Enterprise do Java.

Fonte: InfoQ, adaptado.

sexta-feira, 9 de março de 2018

JavaFX será retirada do Java JDK

A tecnologia para Java, de desenvolvimento de software cliente enriquecido, a JavaFX, será removida do Java Development Kit (JDK). Disponibilizada pela Oracle há dez anos, seguirá o seu processo autónomo de evolução.

Ao ter o seu próprio módulo ficará mais fácil de ser adotada e abre-se caminho a contribuições de mais intervenientes, acredita o fabricante. Na sua visão, com a nova agenda prevista de atualizações mais frequentes para a linguagem Java, e respectivo kit de desenvolvimento, o JavaFX precisa de ter o seu próprio ritmo.

Este será promovido pelas contribuições da Oracle e de outros intervenientes na comunidade OpenJFX. O JavaFX já não fará parte do JDK 21, previsto para Setembro de 2018.

Permanecerá no JDK 10 que será disponibilizado durante a próxima Primavera, segundo a referida agenda. O suporte comercial para o JavaFX no JDK 8 continuará até pelo menos 2022. Com um conjunto de pacotes de software para elementos gráficos e de media, o JavaFX faz parte do JDK desde 2012.

Foi introduzido em Maio de 2007 pelo fabricante fundador da Java, a Sun Microsystems. Tratou-se de uma tentativa de colocar a linguagem na vanguarda do desenvolvimento de software cliente enriquecido, nos desktops e dispositivos móveis. E assim compete com o Adobe Flash e o Microsoft Silverlight.

A Oracle assumiu o controle sobre a tecnologia quando adquiriu a Sun em 2010. Tornou-se código aberto em 2011, teve adopção mas sem relevância muito marcada.

Tal como o Silverlight e o Flash Player, o JavaFX perdeu importância, conforme os programadores procuraram usar mais tecnologias baseadas em normas, particularmente a HTML5, para desenvolver aplicações enriquecidas para Internet.

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Novidades no NetBeans IDE da Apache para Java 9

A Apache Software Foundation lançou uma versão beta do seu ambiente de desenvolvimento NetBeans Version 9.0, que inclui as primeiras capacidades existentes no JDK 9. Suporta, por exemplo, o Java Module System introduzido com o Java 9 em Setembro de 2017.

As principais novidades:
‒ um modo “ModulePath” para capacitar o ambiente para o uso de módulos, além de suportar a opção “classpath” de longa data para o “runtime” na busca de ficheiros de classe e recursos;
‒ a capacidade de um projecto típico do NetBeans pode servir como módulo de Java Development Kit 9 através de um ficheiro “module-info.java” no pacote base;
‒ suporte em módulos para o ciclo completo de edição, compilação, depuração e análise;
‒ a capacidade de mostrar dependências do módulo no IDE;
‒ uma interface de utilizador, como console para as ferramentas Java Shell (JShell), REPL (“read-eval-print-loop”), que podem ser suportadas com a configuração do projeto do utilizador;
‒ adição de ações ao instrumentos análise da Java para expandir e colapsar nós em resultados de tabela de árvores.
‒ “Popups” redimensionáveis ​​das ferramentas de análise, para facilitar a manipulação de nomes longos de classe ou método;
‒ Suporte para a PHP 7.1, incluindo visibilidade constante sobre classes, a detecção múltipla de exceções e de tipos anuláveis;
‒ Para o desenvolvimento do PHP 7.0, um instrumento de análise lexical sensível ao contexto;
‒ Também para PHP, o editor sugere tipos de retorno vazio e métodos não abstractos incorretos;
‒ O depurador C / C ++ para depuração “dbx” nativa;
‒ Suporte no editor C / C ++ para a ferramenta de formatação para formato Clang;
‒ Também para o desenvolvimento de C / C ++, uma versão experimental de diagnóstico baseado em Clank, que mostra o caminho de erro de um problema.

O NetBeans 9.0 também traz um novo projeto, o Java Modular Project, para o desenvolvimento de vários módulos JDK 9 em projeto baseado em Ant. Com isso, os projetos de aplicações em Java podem ser empacotados numa imagem JLink para distribuição da aplicação e dos módulos necessários.